quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Até que tudo mudou


A rotina se desfez. No peito aquele sentimento até então desconhecido. A vontade insaciável de te ver. Alguém que até ontem nem conhecia. 

Uma loucura, o desejo de saber se o sentimento era recíproco. Se você me via. Como um indigente em busca de migalhas, desejei profundamente ser alvo do seu amor. 

Me fiz pequeno, mas perto de você eu virava gigante. Que loucura o que o amor despertava em mim. Te pedi para prometer que se isso for um sonho e tudo que vamos viver acabar um dia, você iria guardar um espaço no seu coração para quando a dor passasse. 

Me permitiria estar em você. Pelo que foi. Não quero te abandonar e, mesmo que a vida me faça partir, eu estarei sempre com você. Se depois de tudo, você consentir em me deixar viver dentro de ti, a nossa felicidade não estará condicionada a aquisições. 

Será presença constante, eterna, marcada para sempre. É uma promessa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário