terça-feira, 31 de maio de 2016

Uma pausa para amar


"Vamos dar uma chance para todas as formas de amor. Seja entre pais e filhos, irmãos, casal e todo o tipo de sentimento de compaixão. É este sentimento que faz o ser humano especial."

No fim do dia, o barulho ensurdecedor do dia a dia parece não nos abandonar e acabamos nos perdendo nos caminhos do amor. 

É como se só sobrasse cacos de um sentimento perdido. Vamos caminhando após abrir os olhos, seguindo apressados com uma ânsia de produzir algo para trocar por coisas que queremos, mas que no fim jamais vão ter o valor de um sentimento. 

É uma busca sem fim, que começa igual, e talvez, na melhor das hipóteses, poderá findar diferente. As chances são pequenas. Surge então os dilemas, os questionamentos. 

O olhar ganha uma nova chance. Deixa-se suspendido tudo que nos impede de ser, olhamos para dentro e identificamos o sentimento esquecido há tempo. Ganhamos novamente a dádiva: a capacidade de amar. 

Tudo e todos, qualquer sentimento vale se nos faz sentir vivos. Um sorriso com os amigos, uma conversa com um desconhecido, um abraço nos pais, uma brincadeira com os irmãos. 

Encontra-se o bem estar. O querer bem, que no fundo é o que nos faz lembrar: somo humanos e amamos. Sim, devemos amar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário