quinta-feira, 23 de março de 2017

Sem medo



Inicialmente não precisa ser perfeito. Precisa ser feito. Necessita sair do papel. Deve ganhar asas. Tem que ter o sopro da vida e ser. Partir do mundo das ideias. 

Se tornar real. 

Meu desafio, meu calcanhar de Aquiles, minha pedra no sapato, a pedra no meio do caminho. Tudo que nascia, travava, era podado, se desmanchava em minhas mãos. 

Por causa da minha bagagem, das minhas defesas, meus medos. Dar vazão ao ser e tornar-se, finalmente, quem sempre fui tinha status de urgência. Sem barreiras, contratempos, empecilhos. 

De grão em grão, sem espaço para olhares de condenação. A essência da felicidade e a paz interior seriam forças, grandes aliadas, nessa grande batalha que começava e empreender. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário